Escrever

Sinto a necessidade de escrever e não sei porquê! É uma necessidade que tenho de despejar aquilo que se passa na minha mente; mas não tudo, há muitas ideias, pensamentos e sentimentos que quero e mantenho privados.
Desde pequeno que sempre senti um desejo ou, provavelmente, uma atracção pela escrita. Muitas vezes escrevi enquanto escrevia, no entanto raramente escrevia; só comecei a escrever regularmente no dia vinte e três de Agosto de dois mil e três (escrevo por extenso por pancada mesmo). Nesta data fiz um registo no blogger e comecei a escrever o meu primeiro blog, chamava-se “Inteiramente Eu” – curiosamente o endereço que ele tinha já foi ocupado por um outro blog. Passado um ano a escrever esse blog, apaguei-o por completo. Lá tive os meus motivos, as minha razões muito pessoais. Arrependo-me de o ter apagado porque foi uma fase da minha vida, foi onde comecei a escrever com uma certa regularidade; era todos ou quase todos os dias.
Depois disso tive outros blogs, uns dois ou três onde enveredei por um tipo de escrita diferente, sem falar de mim ou dos meus sentimentos, no entanto não resultaram. Tentei até escrever um conto e não consegui. Não me dava o mesmo gozo escrever sobre algo fictício ou escrever um diário de um gato. Foi então que decidi acabar com esses blogs. Mantive o blog do romance durante algum tempo mais, mas após ter começado este blog apaguei-o também. Mas desta vez fiquei com todos os textos guardados.

Após ter começado a escrever este blog, apercebi-me que é disto que eu gosto na escrita: Escrever aquilo que me vai na alma, quando me dá para o romantismo escrevo sobre o meu romance vivido diariamente, quando me dá para os atrofios, escrevo sobre as minhas loucuras. Resumindo, escrevo sobre mim, sobre os meus sentimentos, sobre os meus pensamentos e sobre os meus gostos. E não é só neste blog; eu escrevo também noutros sítios.

Adoro escrever.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *