Passou-se

– Boas..!
– Boas, tudo bem?
– Mais ou menos. Vai-se andando.
– Então, o que se passa?
– Eu.
– Tu?!
– Sim, eu! Eu passo-me.
– Então mas passas-te porquê?
– Porque te encontrei.
– Porque me encontraste? O que é que eu te fiz?
– Tu não me fizeste nada! Excepto a amolgadela que tenho no carro.
– Mas tu nem sequer tens carro!
– E quem é que te disse que o carro era meu?
– Então de quem é o carro?
– O carro, é teu!
– Então e estás a passar-te porque eu tenho uma amolgadela no meu carro?! Espera… EU TENHO UMA AMOLGADELA NO MEU CARRO?!?!?!?!?
– Tens pois! E por isso estou a passar-me.
– Mas o que é que tu tens a ver com isso.
– Eu?!?! Nada!!
– Já não percebo nada disto.
– Nunca percebeste.
– Então explica-me.
– Ok, vou tentar! Eu, estou a passar-me porque tu tens o carro amolgado e eu não tenho nada a ver com isso.
– Porra, se não tens nada a ver com a amolgadela do meu carro porque é que te estás a passar?
– É simples, porque eu ia a passar com as minhas compras e quando reparei que tinhas o carro amolgado, tropecei no passeio, voou uma lata de atum que foi partir o teu vidro da frente; ficou todo estilhalçado.
– Ah, ok. Assim está bem.

3 thoughts on “Passou-se”

  1. … boa! conseguiste baralhar tanto o pobre coitado que ainda acabou por aceitar o mal que lhe fizeste??!!

    manda mais … latas de atum!! não, não conversas destas, pró people rir!!

    Bj

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *