Estória

– Estou sim!?
– Ahnf, ahnf!
– Diga?!
– hunf, hunf.
– Quem fala?
– Grunfff… Não sabe fazer as perguntas certas. Adeus!
….

——————————————————-

Era uma vez, numa terra muito distante vivia uma velhinha muito rabugenta. Tinha uma idade tão avançada que já ninguém se lembrava dela quando era criança. Um belo dia a velhinha saiu de casa para ir à praça, como fazia todos os dias, quando de repente teve um trecolareco e caiu redonda no meio da rua. Logo se juntou uma multidão em redor da velhinha para ver o que tinha acontecido. Afinal de contas ela era a pessoa mais idosa da aldeia e toda a gente a conhecia. Alguns segundos depois chegou o médico da aldeia. Pediu a toda a gente que se afastasse e que desse espaço. Com o estetoscópio nos ouvidos, o médico começou a tentar escutar o coração dela; Não tendo escutado nada a principio, levantou a cabeça muito assustado e olhou em seu redor para as caras da multidão que o incitaram a tentar de novo. Talvez o estetoscópio estivesse avariado ou entupido. Comoçou novamente a tentar escutar o coração dela, quando de repente leva com uma mala de senhora na cabeça. Era a velhinha que já tinha recuperado os sentidos e não estava a gostar nada da multidão que estava ali, muito menos do médico ali em cima dela. Levantou-se num pulo e começou a refilar com toda a gente, a mandá-los para casa e para se meterem nas suas próprias vidas.
A multidão dispersou, ficando apenas o médico a tentar falar com a velhinha. Perguntava-lhe insistentemente se ela estava bem e se não lhe doía nada. A velhinha sempre muito rabugenta dizendo-lhe que não se passava nada, virou costas e seguiu com a sua vida.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *