Sistemas Operativos – Uma opinião pessoal.

Já muito se debateu e ainda se debate sobre qual o melhor sistema operativo. (Para quem não sabe, o sistema operativo é aquilo que permite o funcionamento e utilização de um computador).
Existem actualmente três grandes sistemas operativos; O Windows da Microsoft, o Mac OS da Apple e o Linux.

Como em tudo há grupos de pessoas que defende acerrimamente cada um destes sistemas operativos, seja o Windows 2000, o Windows XP, o recenete Windows Vista, o Mac OS 9, o Mac OS X ou as várias distribuições de Linux como o Red Hat, o Suse, o Ubuntu, o Debian, entre muitos outros.
Dos três grupos, aquele que tem mais distruições é sem dúvida o Linux. Tudo isto graças a ser Open Source, permitindo deste modo a criação e adaptação do sistema operativo às necessidades e desejos de cada um dos seus criadores. Existem inúmeras distribuições gratuitas de Linux e algumas comerciais.

Observando atentamente os três tipos de Sistemas Operativos, qual deles é que é realmente o melhor do mercado?
Na minha opinião, nenhum. Não há nenhum que seja melhor que o outro, porque cada um deles tem as suas vantagens e as suas desvantagens, todas elas variam de acordo com as minhas necessidades e desejos. E assim se passa com cada pessoa que quiser adquirir e instalar um sistema operativo no seu computador acabadinho de comprar.
Portanto, um dos factores determinantes na escolha de um sistema operativo é sem dúvida a utilização que lhe vamos dar. Acho que só alguém extremamente burro é que vai comprar um Apple topo de gama, com o Mac OS X instlaado (que, só por acaso, custa um balúrdio) quando na verdade o sistema é-lhe completamente inútil tendo em conta os seus objectivos.
Entende-se então que um arquitecto compre um sistema destes, devido à utilização que lhe vai dar. Um arquitecto trabalha principalmente com programas de design e processamento gráfico. Tendo este objectivo em vista e sabendo que os Apple são neste momento as melhores coisinhas que há no mercado em termos de desempenho e processamento gráfico, então justifica-se esta aquisição.

No entanto colocamos agora o exemplo de uma pessoa, suja única utilização que vai dar ao PC é navegar pela net, ter algumas conversas no messenger e talvez umas folhitas de cálculo com as suas despesas mensais ou algo semelhante; esta pessoa seria completamente idiota em adquirir um Apple quando poderia adquirir um PC com o Windows XP instalado por quase metade do preço.
Quanto ao Linux, acho que é um excelente sistema operativo, é estável, fiável e seguro, consome metade dos recursos que o Windows e é gratuito. No entanto a sua configuração, apesar de assim ser anunciado, nem sempre é fácil; basta, por exemplo, que a placa gráfica ou a placa de som não tenham drivers compatíveis para Linux ou para a distribuição escolhida para instalar a confusão na mente do utilizador comum. Já experimentei várias versões do Linux, uns com instalações mais fáceis, outras mais complexas e trabalhosas, mas acabei sempre por voltar ao Windows.

Por muito que critiquemos o Bill Gates e a Microsoft, por muito que se diga que aquilo é um monopólio, por muito que se diga que o Windows está cheio de erros, que é o único sistema operativo que pode ser atacado por milhares de virus, a verdade é que é um sistema operativo que se tornou um standard. Tudo ou quase tudo o que é feito no e para o Windows, funciona em quase qualquer computador com o Windows instalado.
Experimentei recentemente instalar o Kubuntu Linux no meu PC. O computador ficou rápido, estável, não tive um único “crash”, as aplicações funcionavam bem, já tinha um sistema de actualização automática semelhante ao da Microsoft. Mas, passado algum tempo, voltei ao Windows XP. Porquê? Porque não tinha qualquer utilização para dar ao Linux. A maior parte do software que eu utilizo para WebDesign e programação, funciona lindamente no meu Windows e não tem versões para Linux.

Há aqui um ponto muito importante que eu gostaria de focar. Os Bugs do Windows. Muita gente à minha volta se queixa que o Windows está constantemente a dar erros, que o messenger bloqueou ou que programa X crashou o PC, etc.
Eu acho muito estranho que eu tenha o meu PC com o Windows instalado há mais de um ano e se tive dois “crashes” já foi muito.
“Ah, mas isso é porque tu percebes de computadores.”
ou então
“Mas isso é o teu Windows. O meu é muito díficil de configurar”

As versões são exactamente as mesmas, a dificuldade não está na configuração do Windows (é quase toda automática. Demasiado até, para o meu gosto) a dificuldade está no utilizador.
Isto chega ao cúmulo de haver utilizadores que ficam paralizados de terror quando tentam apagar um ficheiro e lhes surge uma mensagem de aviso tipo:


É que as pessoas ficam mesmo sem saber o que fazer… Quer dizer, se escolhem um ficheiro e dão ao computador a ordem para eliminar é porque o querem apagar, certo? Então se o querem apagar, porque razão ficam sem saber o que fazer perante uma pergunta destas? Esta pergunta só existe para evitar “apaganços” acidentais, assim força-se a pessoa a confirmar se quer mesmo apagar o ficheiro e caso a pessoa tenha carregado no botão errado, perante esta mensagem pode sempre escolher a opção “No”.

Resumindo e baralhando. Não há aquele que possa ser considerado “O” sistema operativo. Todos eles estão recehados de opções, facilidades, vantagens e também de bugs, desvantagens, complicações, etc. Decidir qual é o melhor para nós depende principalmente da utilização que lhe vamos dar. O objectivo de um sistema operativo não é ser bom ou ser mau, é simplesmente facilitar-nos a vida. Portanto eu escolho aquele que mais vantagens me trouxer para o meu trabalho, lazer, etc.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *