O sítio onde eu trabalho tem um jardim.

Pois é, trabalho numa empresa cujo complexo tem vários edifícios e mesmo à saída do meu edifício fica um jardim.
É um jardim bonito, dá para relaxar, desanuviar um pouco, ouvir os pássaros, as rãs e os sapos e ver os peixes a nadar e ver os nenúfares com as suas flores que me parecem ser de Lótus.
É um jardim onde corre sempre uma brisa, ou pelo menos sempre que lá vou há uma brisa… se calhar há uma ventoínha gigante escondida, como nos filmes.
Quando faço uma pausa do trabalho, vou lá abaixo fumar um cigaarro e passear pelo jardim. Pois, é verdade eu trabalho no quarto piso. Continuando, quando faço uma pausa do trabalho vou lá abaixo fumar um cigarro, passear pelo jardim, ver os peixes e ouvir os sapos e as rãs… quer dizer, eu nem sequer sei se são rãs ou se são sapos; nunca os vi. Acho que só pelo som não dá para distinguir se é macho ou se é fêmea; às vezes até nos humanos é difícil de distinguir. Falo por exemplo numa enfermeira que vi uma vez no hospital que tinha uma voz de bagaço que punha a um canto aqueles senhores que bebem religiosamente o seu bagaço às sete da manhã lá na tasca da terra.
Voltando ao jardim… O jardim, que é muito bonito, rodeia um outro edifício que é onde fica o refeitório e a cafetaria; é cafetaria porque só servem cafés e acho que também servem digestivos… Mas se calhar deveria chamar-se outra coisa qualquer. Não sei bem o quê, mas se servem outras coisas além do café, deveria ter outro nome.
Ah, é verdade; o jardim. Como estava a dizer, o jardim rodeia o edifício. Começa nas traseiras desse edifício, onde está instalada uma piscina; mas porque raio é que temos uma piscina numa empresa? A malta não tem tempo para se coçar, quanto mais para ir dar um mergulho; ainda por cima não é coberta, portanto no inverno não há piscina para ninguém.
Mas pronto… o jardim começa aí nessa piscina, dá a volta ao edifício do refeitório e da cafetaria, que serve mais coisas para além de café; ah, lembrei-me de outra coisa, a cafetaria só funciona durante o horário de almoço, acho que é entre o meio-dia e as três da tarde.
Ok, o jardim começa na piscina, continua por trás do edifício do refeitório e da cafetaria e mesmo ao lado do refeitório tem um moínho antigo; é um edifício antigo que foi preservado e restaurado e pintado… mas não lhe puseram as velas; fcava mais giro. Desde esse moínho em diante há um ribeirozito artifical, que é onde ficam os peixinhos, os sapos e/ou as rãs (sabe-se lá!)… Se bem que até podem ser rapos ou sapãs; já que algumas espécies são capazes de mudança de sexo ou de reprodução assexual.
Bom… eu gostava muito de lhes poder falar mais do jardim mas o tempo por agora escasseia e eu tenho que ir embora; já estou há demasiadas horas aqui.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *