Publicidade. Para que te quero?

Se bem me lembro do que aprendi na escola, a publicidade tem como objectivo anunciar um produto de forma a que as pessoas saibam que ele existe e que está à venda.
Com o aumento da oferta, tornou-se necessário inventar/criar novos anúncios cada vez mais apelativos. Normalmente cria-se uma história breve que demonstra todas ou uma grande parte das qualidades daquele produto e justifica porque razão devemos comprá-lo.
De acordo com os entendidos em marketing, um anúncio bem sucedido é aquele que quando vemos apenas os primeiros segundos, já sabemos qual é o produto.
Há anúncios de todos os tipos, mas há um que anda agora na TV que para mim é das coisas mais asquerosas que existe. O anúncio até pode ser um sucesso, porque eu de facto lembro-me qual é a marca, mas depois de ver o dito, perdi qualquer vontade que eu pudesse ter de comprar o produto em causa. Vai na volta eu só me lembro da marca porque não há mais nenhuma conhecida desta forma.
Trata-se de um anúncio de desodorizante ambiental (creio que não é preciso referir a marca). E vai assim:

Uma mulher vai pela primeira vez visitar a casa nova que a sua amiga acabou de comprar.

– Olá, bem vinda, entra!
– Olá…
– Esta é a sala!
– Hummm, e que bem que vai ficar aqui o novo ******.

E sentam-se as duas no sofá a sentir o belo cheiro do novo *****.

OK.
Primeira coisa errada nesta coisa: Quem é o amigo ou amiga que vai visitar um amigo ou amiga pela primeira vez na sua casa nova e impõe (sim, nem sequer é recomendação, é mesmo “pões e calas”) a colocação de um desodorizante de ambiente? Quer este amigo ou amiga dizer que a casa nova cheira mal? Pelo aspecto da casa, a dona é solteira e sem filhos, portanto não há crianças (incluindo o marido) para cagar e desarrumar a casa (Bem eu sou marido e não cago a casa, mas enfim), portanto não me parece que a casa precise de ambientadores para já.

Comprei casa há dois ou três anos, por acaso ainda não fiz nenhum jantar ou algo parecido, mas se eu CONVIDASSE um amigo para ir ver a minha casa nova e a primeira coisa que ele fizesse fosse pôr uma merda daquelas numa tomada, seria também a penúltima; porque a última seria levar com o ambientador naquele sítio “where the sun don’t shine” e adeus, bye-bye.

Segunda coisa errada: O anúncio em si, dá a entender que quem não tiver uma coisa daquelas em casa não é elegante nem chique (mas isto até acontecia se estivessem a vender um b.m. – balde de merda mesmo).

Fico intrigado com as pessoas que realmente compram coisas só porque elas aparecem na publicidade. Sim, há realmente pessoas que compram produtos só porque eles aparecem na televisão.

Resumindo, eu devo ser a pessoa mais “deselegante” do país. Não compro produtos só porque é elegante  ou porque os outros os compram. Já vi anúncios muito bons, na maior parte dos casos até me lembro da marca, mas vou logo a correr às compras.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *