Pure Bliss

No começo, sentas-te calmamente a ver a rebentação das ondas na praia e ouves um sino tocar uma única vez. Tudo começa de uma forma muito delicada e suave. É algo que cresce, vai evoluíndo, brincando com os teus sentidos e ajudando a trazer a respiração para a tua consciência. Sentes-te a ficar cada vez mais leve, como se estivesses a flutuar.
A cada compasso há um elemento novo que aumenta a sua intensidade e tudo isto sem qualquer ansiedade. As sensações percorrem-te naturalmente, sem esforço e não há bom nem mau, não há certo ou errado. Se tiveres vontade de chorar, não lutes contra as lágrimas, se tiveres o desejo de sorrir fá-lo como se fosses de novo uma criança.
Sentes o teu corpo a elevar-se, como se estivesses a voar, as tuas asas a bater, o vento na tua cara. Por uns momentos deixas de bater as asas e sentes o teu corpo a planar pelo céu. Lá em baixo, o chão passa debaixo de ti e tudo te parece tão pequeno.
Começas novamente a bater as asas a voas cada vez mais alto, sempre a subir, a tentar sair da atmosfera a caminho de uma transcendência que te leva a viajar pelo universo. O céu à tua volta começa a escurecer, as estrelas brilham com toda a sua intensidade. Com um ultimo impulso sais da atmosfera e encontras-te na imensidão do espaço. Planetas, estrelas, nébulas, tudo está na ponta dos teus dedos. A viagem agora é tua, o destino ou destinos são teus para escolheres, és livre.
Com a mesma suavidade com que cresceram, os elementos músicais vão atenuando, a música traz-te de volta para a tua consciência devagarinho. O teu corpo continua no mesmo sítio onde começou, começas a sentir a tua respiração novamente, o peso do teu corpo regressa, a tua mente continua tão desperta como antes, relaxada mas atenta.
Ouves novamente uma taça tibetana a tocar.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *