O beijo

  • by

Já muito se escreveu sobre beijos e por muita gente, no entanto resolvi escrever também o meu sentir em relação ao beijo.

Há muitos tipos de beijo, cada um único à sua maneira. Inicialmente comecei por escrever sobre vários tipos de beijo, no entanto decidi apagar essa parte e limitar-me ao beijo do qual me apetece falar.

Falo do beijo de paixão e de amor profundo. Umas vezes coisas diferentes, outras, a mesma coisa. São beijos onde nos perdemos com vontade de nos perdermos, beijos que nos provocam arrepios de prazer por todo o corpo, que nos tiram toda e qualquer vontade de resistir, que apenas deixam o desejo que não acabe. Não se trata de um simples beijo, é todo um conjunto de coisas a acontecer em simultâneo.

Os lábios tocam-se e aquecem, as línguas exploram-se mutuamente saboreando o toque, a saliva. O cheiro de cada um entra pelas narinas de cada um e envia todo um conjunto de sinais de prazer para a mente que por sua vez responde segregando hormonas da felicidade que se espalham por todo o corpo. O toque de pele com pele dá choques que percorrem todo o corpo levantando os cabeos na nuca, os pelos nos braços. As mãos exploram todas umas curvas sensuais, sentem os arrepios crescentes no corpo do outro, os músculos a contrair. Sentimos a nossa respiração a ficar mais intensa enquanto ouvimos a respiração do outro a intensificar-se também. Pequenos gemidos de prazer passam pela garganta de cada um, uma voz suave que nos sussurra aos ouvidos coisas como “adoro a tua voz” enquanto eu mordisco suavemente a orelha dela e digo numa voz baixa e suave “amo a maneira como o teu corpo reage às minhas mãos”.

Tudo isto gira á volta de um beijo, quente, suave e ao mesmo tempo ansioso de desejo.

Acredito que há poucas pessoas que consigam ter este efeito entre si. Se calhar até estou enganado e isto não é uma coisa assim tão rara. Não sei…

Não posso falar pelos outros, apenas por mim e posso dizer que isto tem sido extremamente raro na minha vida.