O tempo

  • by

Quando o tempo passa, está a fazê-lo de uma forma linear, pelo menos é assim que é descrito pela física. No entanto há muitas variáveis a ter em conta no meio disto tudo e passo a explicar (divagar, pronto).

Quando estamos com a mente ocupada, normalmente a fazer algo que nos está a dar prazer há aquela sensação que o tempo está a passar muito rápido. Por outro lado quando estamos sem nada para fazer ou entediados parece-nos que o tempo está a passar mais devagar do que seria normal.

Creio que no fundo disto há as nossas espectativas, ou seja, quando nos estamos a divertir, estamos a sentir prazer no que fazemos não damos importância à passagem do tempo e consequentemente uma hora de prazer parecem apenas uns escassos minutos.

Em oposição, quando não estamos a fazer algo que gostamos ou a sentir prazer, estamos a dar importância ao tempo, com a esperança que esta hora de tédio acabe depressa para podermos ir fazer algo que gostamos ou, pelo menos, para podermos descobrir o que vem a seguir, seja o que for.

Pode acontecer estarmos a apanhar uma grande seca e assim de repente no meio dessa seca começarmos a fazer algo que gostamos ou que nos dá prazer e lá está, o tempo começa a passar mais depressa. E agora fica a pergunta filosófica: O tempo move-se realmente a velocidades diferentes? Se calhar sim. Se calhar, todos nós temos a nossa experiência muito pessoal e única da passagem do tempo.