Escrita e aventura

Ontem escrevi sobre o coiso. Não tinha nenhum assunto em específico sobre o qual escrever no entanto, apetecia-me escrever… E hoje mantém-se essa vontade.

Para mim a escrita tem várias utilidades: ajuda-me a manter a minha mente arrumada, serve para exercitar o cérebro, é óptimo para exorcizar os meus demónios, deitar cá para fora o que sinto.

Claro que nem sempre escrevo sobre o que sinto, umas vezes são meros exercícios de escrita criativa, como ontem. Outras vezes são tentativas de escrita prosaica. E várias vezes me acontece repetir assuntos. Creio que este é um deles.

Conheço várias pessoas que dizem que gostariam de saber escrever. Ficam muito espantadas quando lhes digo que só precisamos de uma coisa para escrever: vontade.

Claro que, ler muito, ajuda a aumentar o nosso vocabulário e a ter novas ideias. Depois também convém escolher um assunto e simplesmente escrever.

Gostaria de tentar escrever textos filosóficos, no entanto acho que ainda não cheguei a esse patamar. Todos nós temos as nossas dificuldades.

É claro que isto não significa que nunca vou conseguir escrever textos filosóficos, simplesmente acho que ainda não cheguei lá. Ou ainda não me apeteceu aventurar por aí.

Além disso, gosto de filosofar com alguém. Trocar ideias, debater conceitos, defender princípios. Infelizmente está difícil encontrar alguém para o efeito. Enfim.