Cansaço

Sinto-me cansado. As coisas correm bem, andam para a frente e no entanto estou exausto. Não sei o que é nem me importa. Ainda tenho muito pela frente e sei que amanhã estou diferente. Sei que isto são coisas que surgem num momento e desaparecem no seguinte, tão rápido quanto surgiram.

Lembro-me de muitas coisas e esqueci-me de outras tantas, assim é a vida. Há quem diga que apenas nos lembramos daquilo que é importante para nós; eu não acho isso. Há coisas que gostaria de me lembrar porque as considerava importantes e que já esqueci. Há coisas que queria esquecer e que voltam sempre a surgir num canto recôndito da minha mente. Talvez a importância que damos às coisas não é consciente. Mas se assim é, então não andamos aqui a fazer nada.

Eu gosto muito de andar ao sabor da corrente, seguindo o meu caminho e tentar nunca nadar contra a maré. Essa história do “caminho correcto ser o mais difícil”, é tudo tretas. Há caminhos fáceis e outros mais complexos, todos eles são correctos desde que nos façam sentido. Toda a filosofia de uma “vida de luta” para ter sucesso é ridícula. As coisas existem para ser feitas e vividas e não há cá lutas. Há obstáculos, há barreiras a ultrapassar, mas não há lutas.

Quanto mais amadureço mais me tranquilizo com as minhas escolhas. Não me arrependo de nada a não ser do que não fiz. Podia estar num sítio diferente? Sim, claro. Podia ter ido desta para melhor, várias vezes e nunca fui. Tive vontades de não estar cá? Sim, claro.. acho que todos nós temos. No entanto apesar de tudo aquilo que me faz falta estou bem, estou pleno e em paz. E melhor, tenho plena consciência do que é que me faz falta, sei exactamente o que quero, sei exactamente o que posso e o que não posso. Cada vez mais sei quais são as minhas capacidades, os meus limites, o que quero, o que não quero.

E no final de contas, sinto-me cansado. Preciso de descansar.