(pre)ocupações

Há alturas em que precisamos de desabafar com alguém. Não queremos conselhos, nem opiniões, nem simpatia, apenas queremos deitar tudo cá para fora. Há quem tenha a sorte de ter alguém que ouça sem tecer qualquer comentário… talvez uma pergunta aqui e ali para tentar perceber melhor a coisa, nada mais. Há também a possibilidade de escrever tudo o que vai pela alma. Isto no entanto traz os seus inconvenientes; as pessoas que nos querem bem ficam preocupadas connosco, tentam animar-nos se estivermos tristes… no entanto não é isso que queremos. Não estamos à procura de animação e também não queremos que fiquem preocupados connosco.

Posto isto, torna-se muito difícil ter qualquer tipo de “exorcismo” sem ter reacções de preocupação. Sempre tentamo explicar que está tudo bem e que não é preciso fazer nada, apenas precisamos de alguém para nos ouvir. No entanto, do outro lado há muitas vezes aquela reacção de “dizes que está tudo bem, mas eu sei que não está. Tens que sair dessa”.

Como se pode deitar tudo cá para fora sem que fiquem preocupados. Como é possível mandar tudo cá para fora e permanecer na mesma paz em que já estamos, sem termos que nos preocupar que os nossos queridos não fiquem preocupados connosco…

Se calhar é publicar isto e deixar aqui ficar. Normalmente não passam por cá para ler a não ser que eu partilhe noutros sítios.